27/07/2009

POLICIAIS CIVIS DO CEARÁ EM GREVE LUTAM POR MELHORIAS SALARIAIS


Escrivães, inspetores e peritos da Polícia Civil do Ceará entraram em greve desde a última quinta-feira. Serviços essenciais, registro de flagrantes e de boletins de ocorrência (BO), são feitos por apenas 30% do efetivo, que é a quantidade mínima exigida pela lei.
Os efeitos da paralisação já começaram. Das 51 delegacias (especializadas e distritais), 17 funcionam de dia e quatro à noite. “Quem tiver acesso à Internet deve fazer (o registro) pelo computador. A morosidade só vai piorar”, aconselha o vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira no Estado do Ceará (Sinpoci), Marcos Costa. A delegacia eletrônica só registra perda e furto de documentos e desaparecimento de pessoas.

Escrivães, peritos e inspetores decidiram pela greve, porque tiveram aumento linear de 7%. Delegados e médicos legistas receberam reajustes entre 59% e 123%. O governador do Estado, Cid Gomes, está de férias e retorna no próximo dia 3. A proposta é agendar uma audiência até o dia 10 de agosto. Os policiais acham que, daqui para lá, é muito tempo e decidiram permanecer em greve. A última greve da Polícia Civil do Ceará foi em 2007 e durou 30 dias.
Anterior Proxima Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Scroll To Top